fbpx

Aconteceu com você de traçar uma meta e não conquistar ela? Mesmo sendo uma coisa simples. Seja terminar um projeto numa data específica, viajar no seguinte feriadão ou mesmo atingir o cume de uma montanha.

Há um jeito muito eficiente de boicotar qualquer objetivo que seja, e com este boicote, vem junto uma série de consequências.

A ciência explica.

A maioria das vezes nossas grandes metas, começam com uma curiosidade. A curiosidade acorda um sonho. Do desejo daquele sonho, segue a pesquisa e organização para atingir nosso objetivo. Porém, bem no meio do processo, em qualquer um dos estágios dele, decidimos compartilhar o que estamos programando ou ativamente pesquisando.

Porque reduzimos as chances tão drasticamente ao compartilhar nossas metas?

Ao falar do que estamos pesquisando e planejando, nosso cérebro gera a quantidade de dopamina equivalente à dopamina que recebemos ao atingir nosso sonho. O que nosso cérebro procura é justamente aquele prazer da meta conquistada, porém, se já recebemos boa parte do hormônio do prazer, as chances de ficar no meio do caminho aumentam consideravelmente.

Seja compartilhar, ou mesmo acreditar que atingiremos o cume, além de diminuir a chance de sucesso, nos colocamos em um estado de pressão de mostrar que iremos conquistar o pautado.

Como resultado, somos testemunhas de inúmeros casos de realidades fake. Assim como o que diariamente vemos nas redes sociais, que não necessariamente condizem com o real.

Muito além da mentira mundo afora, o perigo maior é o fato de nós mesmos acreditarmos que somos capazes do sucesso fake e de ter as habilidades para tais fins.

E assim criamos em nós mesmos uma noção errada de quem somos e ficamos cada vez mais longe da nossa natureza e capacidade de crescimento real.

Se quisermos realmente evoluir, precisamos nos olhar ao espelho sem filtros, traçar metas e trabalhar por elas, evitando ao máximo os perigos do boicote.

Os autores dos artigos, vídeos e podcasts assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo de sua autoria. A opinião destes não necessariamente expressa a linha editorial e a visão do Instituto Dynamic Mindset.

 Comentários
  • Marcos Nunes disse:

    Podemos ser tudo aquilo que projetamos, fazemos com disciplina e paixão, pois o resultado será consequência de tempo + dedicação + paciência!!
    Obrigado pela provocação!

Deixar um comentário

Cris Ljungmann

Cris Ljungmann

Cris é uma apaixonada pelo ser humano, com formação em Antropologia Social e uma forte ênfase nas áreas cultural e social. Incansável viajera pelo mundo, combina seus mais de 15 anos de experiência no ensino desenvolvimento humano, a uma fervente paixão pelo esporte aventura, meditação, arte e vida saudável. Ver perfil completo >>

Ver mais conteúdos
Ver mais conteúdos