fbpx

Transformações. Transformações profundas, intensas, contínuas e inovadoras. Esta é uma verdade que veio para ficar na situação atual e que perpetuará na era pós covid-19. O mundo não é mais o mesmo e teremos que absorver o impacto que a nova realidade nos traz.

Mudam as relações humanas, em sua forma e contato (cada vez mais digitais e predominantemente remotas), e a reboque, mudam as relações comerciais.

Afinal, os negócios podem ser celebrados entre as empresas, mas quem os desenvolve, conduz e os alimenta, ao final do dia, são as pessoas. E o que muda nisso tudo? Qual é o novo “normal” nas Parcerias de Negócios? Eu acredito que as Parcerias, sobretudo nesse novo cenário, devem possuir obrigatoriamente três aspectos essenciais: serem GENUÍNAS, IMPACTANTES e INOVADORAS.

GENUÍNAS. É mandatório que uma Parceria de Negócios seja verdadeira em sua essência, que seu propósito, meio e fim, estejam claros para as partes envolvidas. Mais do nunca, que ela aconteça não pelo fato de que “os outros estão fazendo, então vamos fazer também”, mas que ela seja real, verdadeira, que contemple os objetivos das partes relacionadas e que estas partes sejam ouvidas e devidamente consideradas. Parcerias de “baixo para cima” (bottom-up) e não mais “de cima para baixo” (top-down) devem ser a regra, promovendo a verdadeira participação e real colaboração entre os envolvidos.

Não há mais espaço para aquele tipo de Parceria “me engana que eu gosto” ou aquela chamada “o bom é levar vantagem em tudo, certo?” e até mesmo a Parceria do estilo “eu ganho, nós empatamos e você perde”. O mundo anseia por soluções e encantamento que só uma Parceria GENUÍNA pode proporcionar.

IMPACTANTES. Muito se fala e se lê sobre a sonhada Transformação Digital. Muitas empresas clamam que possuem a solução que irá mudar a vida dos clientes, transformando seus negócios. Se realmente possuem estas soluções, quem fará a entrega disso, num mundo agora cada vez mais digital com relações cada vez mais à distância?

Parceiros de Negócios, certamente. Mas para que isso tudo funcione e atenda às expectativas dos clientes, estas soluções são impactantes o suficiente? É o que o cliente realmente precisa ou que você acha que ele precisa? Qual o impacto desta solução no negócio do cliente, no ecossistema de Parceiros, na vida do consumidor final? O que vale mais? 3.000 Parceiros com soluções em um marketplace onde o cliente se perde até encontrar algo de real valor para ele ou 30 Parceiros que possuam, demonstrem e efetivem a entrega de uma solução que causará um impacto verdadeiro no cliente e no cliente daquele cliente? Menos é mais nessa era, onde as Parcerias obrigatoriamente têm que ser IMPACTANTES nos negócios e na sociedade.

INOVADORAS. Aqui temos um paradoxo interessante da era pós-covid-19. Apesar de estarmos rumo a um mundo cada vez mais digital, as empresas (e consequentemente os clientes ou pessoas) querem cada vez mais destaque, customização e mais inovação. Para o cliente, não interessa se a solução Genuína, Impactante e Inovadora que ele irá adotar vem de um Parceiro Platinum, Premiere ou Tier-1.

Fornecedores, enterrem de vez estas estratificações de Parceiros! Isso não serve para nada no mundo da Transformação Digital e de Negócios, pelo simples fato de que a classificação de um Parceiro não mede o grau de Inovação e Impacto que a solução dele terá no cliente. Por sua vez, o entendimento do Parceiro quanto à real necessidade do cliente, o “saber ouvir”, a vontade de querer ajudar o cliente, e não simplesmente fechar uma venda para bater a quota, isso sim é que permitirá uma Parceria INOVADORA.

Um pouco antes da era covid-19, fui abordado por uma empresa literalmente do outro lado do planeta (um país da Oceania), que desenvolve uma solução de Internet das Coisas (IoT) + Analytics para drive-through de lanchonetes, que analisa o tráfego de carros na região conforme eventos locais estejam acontecendo, mede o tempo de espera dos veículos na fila, faz uma conexão com os tipos de lanches mais pedidos, envia sinais à cozinha da expectativa do tempo de preparo da comida e otimiza a eficiência do ecossistema inteiro no entorno do local da lanchonete. Ou seja, impactos reais no tempo de espera do cliente, no trânsito, na emissão de poluentes, no atendimento dos funcionários e sobretudo, na experiência do consumidor, ainda mais na época de isolamento social e “lockdown”. Esta empresa ou Parceiro não estava classificado como Premiere, Platinum ou Tier-1 com nenhum fornecedor e precisava de um Parceiro para entregar a solução aos clientes. Posso considerar que esta empresa precisava estabelecer uma Parceria Verdadeira, Impactante e Inovadora. Tão simples quanto isso!

Portanto, fica aqui a dica: seja a sua empresa um Fornecedor ou um Parceiro, repense sobre o seu papel a cumprir no Novo Normal das Parcerias de Negócios. O cliente, a sociedade e o mundo anseiam para que você apresente a eles Parcerias Genuínas, Impactantes e Inovadoras. Agora, muito mais do que nunca!

Compartilhe este artigo:
Felipe Podolano

Felipe Podolano

Large experience in managing Cloud Services, Digital Transformation Initiatives, Hw and Sw Indirect Sales within the IT Brazilian and Latin American markets, working with Systems Integrators, Partners, Channels, OEMs, Alliances, Cloud Services Providers, Managed Services Providers, Datacenters, Distributors.

Ver mais conteúdos
 Comentários
  • Heraldo Fernandez disse:

    Excelente abordagem neste cenário nas relações com parceiros e fornecedores, a evolução e transformação já estava andamento e o “Novo Normal” vem para consolidar um novo e diferente ciclo.
    Parabéns

  • Tatiane Justo disse:

    Texto excelente e conteúdo importante para o momento. Parabéns!!!

  • César Leite disse:

    Grande Felipe

Deixar um comentário

Ver mais conteúdos