Estamos todos tendo a oportunidade de viver no momento de maior transformação da história conhecida do mundo. De fato, tudo está se modificando de forma intensa e abrupta. O futuro chegou e não pediu “com licença” para impactar nossas vidas. Modelos ficcionais presentes em livros ou no imaginário humano por longo tempo se tornaram parte de nosso cotidiano e para evidenciar o quadro e sua enorme influência em nosso presente-futuro, não há qualquer indicação de desaceleração do incrível ritmo de mudanças que estão acontecendo.

A internet, a globalização, a multiconexão, a exponencialidade dos negócios, a economia compartilhada, a desmonetização, novos modelos e paradigmas, realidade virtual, inteligência artificial, contextos efêmeros e voláteis, redução drástica da privacidade, o novo mercado “single”, o equilíbrio instável, entre tantas outras manifestações e contextos, caracterizam o incrível tsunami de mudanças que estamos e estaremos atravessando em nossas vidas.

Hoje é, com certeza, o momento mais lento de transformações as quais cada um de nós estará submetido nos próximos tempos. E como tudo que muda e se reorganiza, não é fácil viver neste estado constante de alterações no mundo circundante, conexo e não conexo a cada um de nós. De fato, para podermos lidar com esta onda interminável de novidades, precisamos ser e viver em um estado permanentemente dinâmico, isto é, termos uma capacidade plural de nos reorganizarmos constantemente frente ao novo, as novas realidades e aos impactos tecnológicos, culturais, legislativos e sociais a que estamos submetidos.

Estamos preparados? Conseguiremos aceitar o novo facilmente? Nossa resistência vai nos permitir avançar? Estamos compreendendo o que está acontecendo? Sabemos tirar proveito da miríade de novidades que nos impactam a cada dia? Estas, entre tantas outras perguntas, precisam ser trabalhadas, refletidas, assimiladas e amadurecidas por cada um de nós.

Não se trata de submissão a uma nova ordem mas, a capacidade de compreender e conhecer, para saber lidar e vencer. Isto significa ser plural frente ao transformacional, segregar o joio do trigo mesmo que agora também o joio faça parte de quem somos e vivemos. É preciso se adequar para ser agente de sua própria história ou relativizar e ser coadjuvante nos novos cenários que se apresentam em termos de empreendedorismo, sociedade, liderança, inovação, trabalho, lógica de vida, família, cultura, propósitos, etc.

Há pouco espaço para ambiguidade existencial. Um poderoso mundo novo está se criando e, senão soubermos lidar com ele, estamos condenados a uma espécie de segregação propiciada pelas mudanças disruptivas que estão acontecendo de todas as formas. Das startups aos grandes negócios, do indivíduo a família, da religião a espiritualidade, do bairro ao mundo, do trabalho colaborado para o coordenado e então sistema operacional, do micro ao macro, do simples ao complexo, da omissão a ativa participação política, tudo parece estar se reorganizando em um formato diferente daquele que conhecemos até então.

Querendo ou não, por mais que possamos tentar negligenciar o novo, um conjunto de transformações nos está sendo imposta quase que imperativamente e, dentro disto, acabamos por ser parte integrante deste contexto que está se conformando em um ritmo sem precedentes em nossa história. Com esta realidade transcendente em mente, refletindo de forma profunda sobre o todo em transformação e como poderíamos ajudar a compreender e lidar com o novo instigante que permeia o mundo em revolução em que estamos inseridos, é que pensamos, criamos e estamos desenvolvendo o projeto e, agora Instituto Dynamic Mindset.

Para além de artigos, vídeos, entrevistas, debates, eventos, formação, workshops, etc… o Instituto Dynamic Mindset se propõe a ajudar a construirmos juntos as pontes necessárias para sermos e agirmos no estado dinâmico das coisas, dos negócios, da sociedade e, principalmente, dos indivíduos.

Queremos ser uma espécie de ponte, que contribua para construir em cada um de nós espaços internos de disponibilidade e aprendizado em formato lifelong learning para podermos juntos protagonizar neste novo cenário. Falamos aqui de desenvolver alternativas e possibilidades que ajudem a singrar novos mares e realidades até então não vividas, de forma a fazermos de nossos espaços de atuação um campo de desenvolvimento de protagonismo competitivo frente aos desafios impostos sobre cada um de nós.

Do unlearning ao lifetime learning, do não compreendido ao uso massivo dos avanços, da rigidez de pensamento a dinâmica constante de evolução, Dynamic Mindset procura abordar e oxigenar o humano através de ideias que permitam transformar cada um de nós em um novo player, preparado e capacitado para entender e lidar com vantagem na velocidade exponencial de mudanças e ressignificâncias que estamos inseridos e vivemos.

Para lidar com um mundo disruptivo, precisamos também nós sermos novos mas, usando o caldo cultural, intelectual e estrutural que nos trouxe até aqui. Para isto, precisamos refletir, repensar e construir um novo eu vencedor e dinâmico para este poderoso horizonte de presente-futuro no qual estamos navegando. Nossa proposta de valor, idéias instigantes que transformam, reflete a base de nossa proposição e ambição. Um projeto com escopo bem definido mas, com uma arquitetura flexível para permanentemente se adaptar ao que for necessário dentro de seu propósito e contexto de atuação.

Ajudar a gerar o novo arejado em cada indivíduo que se permita abordagens inovadoras, principalmente sobre sociedade, inovação, empreendedorismo e liderança. É a isto que vamos nos dedicar e colocar energia, tempo, dinheiro, inteligência, emoção, dedicação. Com isto em mente, convidamos todos que se colocarem disponíveis para erigirmos juntos passagens, conhecimento, debates, capacitação, entre outras iniciativas as quais, sempre amplamente sustentadas por especialistas em seus campos de atuação – os quais chamamos carinhosamente de Mindsetters, nos permitam ver diferente e além para podermos ser e agir no estado dinâmico do admirável mundo novo que estamos iniciando a vivenciar e a protagonizar.

Vamos juntos!?